HOMENAGEADO DO MÊS

HOMENAGEADO: Lula Cardoso Ayres, pintor Pernambuco de vanguarda, sua obra impressiona pelas formas. É um iluminado.
Período: 01 de novembro de 2012 a 31 de dezembro de 2012.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O OLHAR NO AR

Faz luz...
Vozes migraram no silêncio
As estrelas retornam a brilhar
O doce ar da solidão
A noite não terá sido em vão

Conduz...
Uma meia palavra
O olhar no ar
Não enfraquece o coração
Um sentir
Um amar
Um calar
As vezes voar...
Na brisa mansa a soprar

domingo, 30 de janeiro de 2011

NA TERNURA DO POETA

Vi em ti o poeta
Amas palavras...
Estrela do tempo inteiro
Ouço-te ainda a voz
Não cabe no infinito
Vida eterna

A paisagem vista da janela
Ainda assim te pergunto
Para onde me levas?
A graça de viver
A solene marca dos deuses
É a hora do descanso
Amar e esquecer


Homenagem a Carlos Drummond de Andrade, poesia feita a base de frases escrita por ele.

ETERNO CONFLITO

Morrer...
Morrer! Morrer! Morrer!

Viver...
Viver! Viver! Viver!

Viva primeiro!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

PORTFÓLIO

Luz
Um atributo do ser
Virtude
Qualidade particular
Serenidade
Paciência descobre temperança
Fluído alquímico

Plano de idéias
Elementais
Espíritos diretores
Anjos

Harmonia
Poder realizador
Sintonia
Aspirações de amor

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

VIVA CADA MINUTO

Aprenda, crie e use
Vamos fazer juntos
Conectando pessoas
Se é de coração, é de verdade
Movidos pela paixão
O poder dos sonhos
Exceder a sua visão


Simples assim
Viver sem fronteiras
Faz bem
A vida é feita de ciclos
Renove-se
Fazendo sua vida melhor
O espírito de sorrisos
Feito para você
A vida sem limites
Na terra, no ar e no mar
De bem com você


Obs: Baseada em slogans publicitários.

domingo, 23 de janeiro de 2011

SEM INSPIRAÇÃO

Acordando para o céu olhar
Nublado, chuva fina...
Papagaio na árvore da esquina
Volto para cochilar

O silêncio da rua
Na cama o friozinho
Suave penumbra
Procuro meu ninho

Sem inspiração
Os olhos fecho suavemente
Aos poucos...
Não estou mais consciente


sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

ORAÇÃO DO CARNAVAL

Oh! Meu Pai!
Dar-me um jeito de ir ao carnaval
Vou junto ao povo que festeja
Dar-me um pouco de cerveja
Dinheiro e Beleza
Mas não sou momo para realeza

No ritmo de vassourinhas!
Uma sombrinha!
Não quero ficar pra titio
e nem chamado de tio
Vou atrás de um trio
Na fantasia que crio
Um bronze no sol quente
Um sorriso ardente

Dar-me a chance de um amor
Um beijo de uma loira
Não precisa ser gelada
Muito menos pelada
Uma flor que desencante o coração
Vou ficar em oração
Para realizar minha petição

Não quero ser pecador
Muito menos sofredor
Se achar que estou errado
Feche os olhos para mim
Se achar que sou iluminado
Deixe me divertir assim

Pra o Galo vou-me embora
Em Olinda nas ladeiras
No calor da multidão
Vou brincar agora
Vou viver essa sensação

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

DEFEITO OU JEITO

As pessoas têm defeito!
Gritou o beato.
Não! Elas têm jeito!
Falou o homem do mato.
Veja por cada ato!
Retrucou o beato
Olhe pelos fatos!
Disse o homem do mato.

Não olhe por defeito!
Julgar você não tem direito!
Gosto ou rejeito?
Adaptar ou não ao jeito?

Ou inverto????

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

CRUZ

Preso no chão

Dor na mão


Corpo...

Uma luz no coração

Vida...

Sobre a madeira

Observador...

Ramos de oliveira

Amor...

A cena do Salvador...

domingo, 16 de janeiro de 2011

O BOLO

Saborosoooo....
Em qualquer sabor
Feito pela mãe ou vó
É com amor

Se foi da padaria
É feito com Alegria
Se é festa de criança
Eterna magia

Quem não ficou atento
Não viu
Porque a neta
Não perdeu tempo...












Enfiou o dedo no bolo...












Saborosoooo....

sábado, 15 de janeiro de 2011

CAFÉ COLOMBO

Os livros...
Muitos livros...
Descobriu na Veneza
Café Colombo

Chegou...
Chegou pra brincar
Com idéias e letras

Jovens moços
Bons escritores
Boas entrevistas
Literatura e seus amores

Pesquisas e trabalhos
Dinâmica diversidade
Justiça e igualdade
Cultura pra qualquer idade

Num passo de luz
Boa mensagem introduz
Voar na imaginação
Café Colombo induz...

Não é fácil manter um site sobre poesias, imagine um programa de rádio, principalmente quando é uma rádio sem fins lucrativos que necessita de apoio cultural. 

Singela homenagem aos bravos guerreiros que promovem a literatura pernambucana e nacional através do programa
Café Colombo, exibido através da Rádio Universitária FM em Recife-PE aos domingos das14:00 as 14:30 hs. Por fazerem com o coração é notadamente requintado e plural.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

PATRIOTISMO

Manoel era um menino
Gostava de brincar
Com chapéu de papel
Espada de madeira para brigar

O tempo veio e ele cresceu
Alistou-se no exército
Foi para guerra e morreu

Triste destino
Veja só o que a vida faz
Ficou o sonho do menino...
De lutar pela PAZ

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

FOTOSSÍNTESE

Produzir seu próprio alimento
Alimentar a alma
Oxigênio gasoso
Saborear com calma

Energia luminosa
Química energética
Numa forma poética

Metabolismo
Transferência de substância
Pensamentos eternos
Eterna constância

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

PASSAPORTE DIPLOMÁTICO

Meu nome só um L tem
Não sou filho de ex-presidente
No Brasil sou residente
Dessa terra nunca fui além

Viajei pelo Brasil
Nunca fui ao exterior
Com um passaporte
Sinto que Diplomata sou

Se o direito é igual
“BRASIL UM PAÍS PARA TODOS”
Não sejamos tolos
Vamos repartir o bolo

Como “Patriota” que somos
Com passaporte Diplomático
No AeroLulla Vamos
Sou fanático...


Crítica a liberação de passaporte diplomático para os filhos do ex-presidente LULA.

domingo, 9 de janeiro de 2011

TUDO SE FOI

O que é tudo para quem não nada tem?
É imaginar em algo sem valor
Talvez estejas muito além
É viver apenas como vencedor

Apresentando como novidade
Tudo que se foi
É uma afirmação da idade
Um simples carro de boi

Construções primitivas
Movidas as paixões
Calores e frios
Vida de desafios

Na idade avançada
Tudo se foi...

sábado, 8 de janeiro de 2011

POESIAS MERAS POESIAS

Poesias...
Meras poesias...
Fotos da natureza
Palavras e sutileza

Pulso atrelado
Coração partido
Papel colorido
Rabisco lado a lado

Momento de acepção
Pensamento constante
Alegria elegante

Formas...
Meras formas...

O SONHO AMÉRICA DO SUL

Bratac se chamou
Aos japoneses imigrantes ajudou
Surgiu, cresceu, evoluiu...
Pelos funcionários que sempre o amou

Cada um fez dele seu sonho
Viveu ele acordado
Lutou
Cresceu porque sonhou

Se a vida se fez de sonhos
Os novos também sonharão
Certamente dentro do BAS
Crescerão...

Sonhe firme e com o coração
Estude, aprenda a negociar
Fale o sonho
O sucesso não te negarão


Homenagem ao Banco América do Sul, devido ao processo de fusão no sistema bancário nacional na última década foi vendido ao Sudameris, posteriormente passou para marca do Banco Real e hoje é Santander.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

MINHA FILHINHA


Sonho de todas as noites
Um lindo sorriso
Penso e amo
Tudo com carinho

Coloco uma fralda
Visto um pijaminha
Brinco...
Faço uma caretinha

Amo, sempre mais amo
Sinto e olho quietinha
Pai coruja sou
É minha filhinha



Homenagem as minhas filhas

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

MENININHA

Chora menininha
Chora coração
O dia amanheceu
Mamãe acordou
Vai fazer tua refeição

Faz um biquinho
Minha flor de Liz
Um sorrisinho
Pra Titio ficar feliz


Homenagem a Maria Eduarda minha primeira sobrinha, nasceu antes de minhas filhas.

domingo, 2 de janeiro de 2011

EM TOTAL IMOBILIDADE

Fundo do poço
Duro osso
Já não te sente moço
Um peso sobre o dorso

Em total imobilidade
Tu avanças
Num sorriso sereno
Renovas as esperanças

Tua inabalável fé
Perseverança
Dormes tranqüilo
A benção te alcança

sábado, 1 de janeiro de 2011

FRASES MERAS FRASES

Eu leio pouco, mas infinitamente.
A vida do homem em cada instante.
Uma literatura utópica.
À iniciação dos heróis.
Eis a questão, porque a razão?
Não direi tudo que sei!
Perdeu-se na fala.
Ou sente conforto.
Ou está fora do pensamento.
No caminho pedra forte.
Palavras, um porto ao norte.

Após longa ausência
O regresso...
Na recriação da mágica.
Horizontes irrestritos.
Armazém de palavras.
No canto das estrelas sob o luar...
A espera da placidez.
Donos das palavras.
Esconde uma timidez.